sábado, 26 de novembro de 2016

trovas...sobressaltos



trago algumas cicatrizes
dureza q' a vida me deu
trago também dias felizes
quando ela me estremeceu

soam ventos, tempestades
que a vida é também dura
mas hoje trago saudades
dos tempos de m' ventura.

palpita a vida em meu ser
nada há que não defronte
do sol- pôr ao amanhecer
mil sonhos no m' horizonte

já uma lágrima me cai
dos olhos... flor silvestre!
e eu sei lá, até onde vai!?
o viver que inda me reste

tenho medo Senhor, medo,
negro vulto se me aflora
já a vida não é segredo
mas a morte acerta a hora

e meu corpo não entende
e tem por ela tanto pavor
que só esquecê-la pretende
pedindo-te ajuda Senhor

natalia nuno
rosafogo
quadras escritas em 1986

2 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

quadras bem rimadas e melodiosas, apetece cantar ...

beijinhos

:)

Natalia Nuno/Rosafogo disse...

Oi amiga inesperada visita, adorei as tuas palavras que muito
agradeço, eu adoro fazer quadras, umas melhor conseguidas outras nem tanto, mas dão-me prazer.
Obrigada pela visita, bem hajas, um grande beijinho