terça-feira, 27 de dezembro de 2011

QUADRAS «TUDO É ILUSÃO»



Saber qual é a verdade
De verdade não quero saber
De verdade tenho saudade
Saudade que me  faz doer.

È de verdade ou talvez!?
O que tudo me acontece
Passei por tudo uma vez
E a memória não esquece

De resto já nada em mim
O que houve já passou
Inútil lembrar do fim
Donde vim ou pra onde vou.

Ninguém sabe ao que vem
Ninguém sabe ao que vai
Não sei eu não sabe ninguém
Mal nasce o dia a noite cai.

Há o que eu nunca vi
E há o que nunca verei
Mas tudo aquilo que vivi
Não volta isso eu sei!

Meu pensamento me dói
Por não deixar de pensar
Sonhei foi o que foi...
Nem dei p'la vida a passar.

Fecho olhar e sem ver
Não vejo a vida e eu lá
Supus eu ainda ter
Alguma vida por cá

Nada, coisa nenhuma!
Tudo é ilusão afinal
Esta vida é só uma?
E acaba é fatal.

Eu não quero saber nada
Eu nada quero saber
Se a vida trago traçada
Não é dia pra morrer.

rosafogo
natalia nuno

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

TROVAS Á NATUREZA


Paisagens belas em toda a parte
E belas flores, como moçoilas!
Deus criou a Natureza com arte
Pintou a paisagem de papoilas.

Rendo homenagem à Natureza
À poça de água que me espelhou
Reflectiu a imagem com beleza
A Natureza assim me retratou.

A paisagem é deslumbrante
Até o fulgor nela varia
Quem me dera neste instante
Ser andorinha vadia...

 
Seguir tua voz enamorada
Seguir esta paixão em segredo
Percorrer por vereda isolada
Viver o amor ainda que a medo.




rosafogo
natalia nuno

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

TROVAS LIVRES


Vinde lembranças sorrindo
Que o amor vai sonhando
Embalai meu sonho lindo
Saudosa vou suspirando
Parar não que é morrer...
Que amanheça claro o dia
Em eterna Primavera viver
Em céus de luz e harmonia.
 
De ver-te sempre desejo!
Teus olhos são meu encanto
Pergunto até, se te não vejo
Porquê Amor te quero tanto?
Ventura é ter amor profundo
Sobem ao ar minhas trovas...
Deixo-as ir ao fim do Mundo!
Do meu AMOR, trazem-me novas.
Se por ti choro é de lembrar-te
Não é só mágoa é lembrança
Ventura maior é amar-te
Numa doce e pura esperança.
Numa manhã de nevoeiro
Numa paisagem sem igual
Encontrei meu amor primeiro
Numa lezíria em Portugal

Lembro todo o bem passado
A esta lembrança me abraço
Foi um sonho bem sonhado!
Sem este sonho não passo.

natalia nuno
rosafogo

domingo, 18 de dezembro de 2011

N ATAL



Natal mais feliz e contente
Trago razões pra cantar a vida
Amar a Jesus vinde... gente!
ELE que por nós deu Sua vida


natalia nuno
rosafogo
BOAS FESTAS A TODOS OS MEUS AMIGOS- FELIZ NATAL E NOVO ANO PROSPERO

sábado, 17 de dezembro de 2011

À POESIA VII



Eu me sinto bem assim
Com minha eterna saudade
Falarei de Poesia até ao fim
Nesta trova de amizade.


Com Poesia me criei
Falo dela tanta vez!
Com ela um dia me irei
É meu fado Português.


Toda a graça que sonhei
No meu sonho, maravilha!
Foi na Poesia que busquei
A luz que nos olhos brilha.


Com todas as minhas penas
Fica a Poesia a chorar.,.
Mas o que queria apenas?
Era contigo sonhar!...


natalia nuno
rosafogo
imagem ret. blog imagens para decoupage.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

VIVO...VIVO




Vivo ainda fogo ardente
Trago febre de desejo
Sonho amar-te eternamente
Ganho esperança se te vejo.


O amor a Vida envenena
Às vezes é desventura
Mas sempre vale a pena
Pois amar dá formosura.


Trago uma dor imensa
E a alma adormecida!
Carrego a fria indiferença
De andar na vida sem vida.


Lembrança me dá saudade
Desses campos em flor!
Cresce em mim a ansiedade
Floresce em mim o amor.


Olho o poente à tardinha
Me deslumbra e faz sonhar
Ouço aquela voz miudinha
Canção da fonte a chorar.


Lembranças o tempo dilui
Lágrimas pétalas de flor
Já empalidece o que fui
Nuvem perdida ao sol-pôr.


O pensamento vagabundo
Anda lá longe se perdeu!
Longe de mim e do mundo
Mais perto do olhar teu.


natalia nuno
rosafogo
imagem retirada do blog imagens para decoupage

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

TROVAS XXXII




Venho eu doce menina

Sobre a tua página trovar

Quando a tarde se declina

Sobre o horizonte a chorar.



Brilha nos olhos a saudade

E no coração fala a Poesia

Ainda o dia era claridade

Já a lua ao céu descía...!



Fiquei das estrelas à espera

E a Lua me embalou...

Ai meu amigo quem dera

O que o tempo me levou.



Trago sonhos da infância

Falar de Poesia , maravilha!

Tudo ficou à distância

Mas meu olhar ainda brilha.



rosafogo
natalia nuno
imagem do blog imagens para decoupage


 

TROVAS XXXI



Onde irão meus passos dar
Não os ouço, nem ninguém
Mas meus passos vão passar
Será que seguem alguem?


Afinal que sei eu de mim?
Que nada sei nada vejo...
Olho o mar azul sem fim
Vive em mim o desejo.


Sei agora  me desconheço
Mas logo a quem interessa?
Pois bem não me aborreço!
O tempo em mim se atravessa.


Se corro, a vida me cansa
Eu afinal não sei nada...
Se páro a vida avança
Ando na v ida enganada.


O que queria era ser tudo
Só não quero ser o que sou
Mas na verdade me iludo!
E eu afinal o que sou?


Sonhei que era só lembrança
Dum sonho que já passou
O sonho prende-me à criança
Que é afinal o que eu sou!.


rosafogo
natalia nuno


imegem do blog imagens para decoupage

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

TROVAS à POESIA V



É toda a minha ansiedade
Falar sem parar de Poesia
Hoje venho com saudade
Parabenizar-te neste dia.
*
Qual onda inquieta no mar
A Poesia me domina
É por quem vivo a sonhar
Em nós é uma luz divina.
*
Vou andando vou saudosa
Não quero mais acordar
Bem lá atrás já fui rosa
O tempo passou a desfolhar.
*
Deixo-te aqui meu presente
Beijo de eterna amizade
Falemos de Poesia eternamente
Esperança em flor é saudade.
*
Falamos com a alma nossa
Senhores do que dizemos
Nosso coração se alvoroça
Que a vida seja sonho queremos.
*

Quero entender-me assim sou
Tenho por ti sentimento amigo
Por isso sempre aqui estou
Trovando com simpatia contigo.
*

Falar-te de Poesia enternecida
Pra te ouvir venho carinhosa
Beijo-te amigo, agradecida
Ficam meus versos e uma rosa.
*

Singelos de perfeição menor
Mas escritos em brando enlevo
Os escrevo à luz do meu amor
Assim os penso, sinto e escrevo.
*

natalia nuno
rosafogo


quadras criadas no site Poetas e Escritores do amor e da paz

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

SOL GASTO

bg_13018119 (1)

Sinto-me nada!
Hoje estou vencida
Chego ao fim da estrada
Me encontro perdida.


Fiz toda a cruzada
Faço a despedida
Estou no fim da estrada
Hoje estou vencida.


Vim p'la estrada fora
Me encontro perdida
Só me resta agora
Fazer a despedida.


Sinto-me  nada!
No meu peito escrevo
Estou no fim da estrada
Saudades eu levo.


Escondo o pranto
Nos olhos cresceu
Comigo levo o espanto
Que o pranto escondeu


 Sinto-me nada!
Animal acossado
A boca calada
O peito amarrado.


Sinto-me nada!
Hoje estou vencida
Chego ao fim da estrada
Me encontro perdida.

natalia nuno
rosafogo
imagem do blog imagens para decoupage

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

QUADRAS ENCADEADAS II


Quadras criadas no site HORIZONTES DA POESIA


Não pensarmos Eu... mas Nós!
Só juntos caminharemos bem
Dando mais força à nossa voz?
Não seremos farrapos de ninguém.

Pratique sempre o bem
Mas que bela mensagem
Quem dera puder também
Mudar do Mundo a imagem

Oh!...Que bela compensação
Ouvir do melro uma melodia
Quando a vida traz solidão
Sou pássaro em gaiola vazia.

Com que a vida me brinda
É me dá às mãos cheias!
Esta saudade que não finda
Este amor que em mim ateias.

Ao Mundo eu tentei dar
Linguagem que não entende
Subi, desci sem encontrar
Já nada a ele me prende

Não creio mais em tal cantiga
Estou cheia de impaciência...
Que de tanta...tanta fadiga!
Dão cabo da minha inteligência.

Onde reina a democracia
Mas se esta não dá pão
Mais triste é o nosso dia!
Sem ter no bolso um tostão.

Sentir a paz entre toda a gente
Que o Mundo seja seara acesa
Que a Liberdade esteja presente
Assim seremos felizes com certeza

Que goste de rosas plantar
Ou goste de rosas colher
Que esteja pronta prá amar
Anseio de mais bem querer.

E, sempre que pode tenta
Este meu louco coração
Então novo amor inventa
Sem querer ouvir a razão.

Há já muita ansiedade
Que importa meu amor?
Para esquecer a saudade
Venha de lá teu calor.

Se guiar este é...o perigo
De me perder nos caminhos
Nos teus braços me abrigo
Venham de lá teus beijinhos

Em nós sua poesia ressoa
Pessoa, a seguir S.António
Santo Padroeiro de Lisboa
Com bailarico e harmónio.

E afaste para sempre a dor
Do pranto que se instalou
Pois se tu és o meu amor
Aceita o amor que te dou.

Um amor mesmo de contrabando
Quem sabe Deus não me destina?
Cansada de esperar, vou saboreando
Lembranças dos amores de menina

Tua mão deu-me longevidade
Numa réstia de sol embrulhada
Ainda hoje me dá a saudade
De quando era por ti amada.

P'ra amenizar tanta brincadeira
Brincadeiras de mau gosto!
O governo não há maneira
De abandonar lá o seu posto

Pois delas quero fugir
Do feitiço que delas ficou!
Que venha amor a sorrir
Que este feitiço falhou.
*

Este viver me amofina
Já trago o fogo apagado
Meu desejo já não atina
Vive do Amor desolado.
*
Vamos ter de o apoiar
A quem posso saber?
Necessito me libertar
Quero me deixem viver.
*
Outros gritam!Quem me acode!
Que isto não está pra brincadeira
Mas ainda há quem se incomode
Em querer pregar-nos a rasteira.

natalia nuno
rosafogo
estas quadras não têm nada e comum, dado cada uma estar encadeada numa outra doutro Poeta amigo, mas como não quero perdê-las dado que são minhas aqui ficam para recordação.

QUADRAS ENCADEADAS I



Quadras encadeadas, criadas no site HORIZONTES DA POESIA, onde colaboro.


Pr'o poeta responder
Numa poesia forjada
Pois tem pouco a dizer
Já vai no fim da estrada.

- O QI que a bela tem
- Devia ser importante!...
Mas não interessa a ninguém
Basta ser bela e ignorante.

E todo o resto é uma seca
Que não ata nem desata!
Pega aí numa rabeca
Que já do fado se trata.

Já lá tem dinheiro a mais
mas só nos bolsos de poucos
Pois a pobreza já é de mais
E a fome já é de loucos.

Daqui de longe os saúdo
Vestida de verde e vermelho
Acolhedor, perdeu quase tudo
Este País gentil, pobre e velho.

De mel vira em amargor
Um dia não aguenta mais
Lá se perde um grande amor!
Mas logo noutro tu cais...

Se beijar o meu amor
É como dia de festa!
É receber a luz e o calor
Que o astro rei empresta.

Fazer feliz quem gosta de mim
É a minha grande preocupação
Pois então se não fosse assim
Não era Amor, isso não!

Algo que se esquecesse
Talvez a raiva da traição
Quem sabe merecesse
Uma tão grande desilusão

Devolvendo-nos a pureza
Que esvoaça distante já!
Barco já sem leme da beleza
Inocência que ficou por lá.

Faz nosso jardim florir
O sorriso duma criança
Pois só de vê-la sorrir
Nasce de novo a esperança

Sem fazer grandes juízos
Ninguém melhor que ninguém
Todos somos iguais a narcisos
Pouco nos importa outro alguém.

Já o Povo se queixava
É só o que sabe fazer!
Não se mexe para nada
Deixa tudo acontecer.

Que só Ele nos traz a Paz
Acorda aves da lembrança
Pra ver se o Homem é capaz
De dar ao Mundo esperança

Se nos respondem que não!
Ou respondem com violência
Damos música ao coração
Amigo escuta com paciência!

Por esta vida tão breve...
Como alcançar a felicidade?
Menina que eu era alegre
Hoje dela trago saudade.

E...lágrimas no quotidiano!
Nem sequer pão para a boca
Na vida sómente desengano
A sorte de alguns tão pouca.

Para tentar colar os cacos
Do capitalismo esse tirano
Que nos deixou só patacos
E...lágrimas no quotidiano!


natalia nuno
rosafogo
estas quadras  não têm nada e comum, dado cada uma estar encadeada numa outra doutro Poeta amigo, mas como não quero perdê-las dado que são minhas aqui ficam para recordação.

QUADRAS AO SABOR



Gosto de pensar no ontem
Já que  o amanhã é incerto
Por mais que digam e contem
O futuro não quero por perto.

Passa a vida de rajada
Trago saudades de mim
Saudade da terra amada
Na memória sem ter fim.

Assim me vou chorando
Perdida no tempo que resta
Saudosa vou recordando
O tempo que era de festa.

Sombra do que fui, sou!
Imagem triste indecisa
O tempo não perdoou
Mas o sonho inda desliza.

A vida é uma corrida
E eu continuo correndo
Sem sonho vida não é vida
Por isso sonhos vou tendo.

Sempre se chora ao nascer
Um choro bem magoado
Como que a querer dizer
Já tenho o meu triste fado.

Verdes teimosos olhos meus
Tão verdes do verde terra
Andam perdidos p'los teus
Pensando ganhar a guerra.

E sem dó nem compaixão
Os deixas caídos em terra
Tu pensas ter-me na mão
Mas não ganháste a guerra.

Assim tristes vão chorando
Não estarem aos teus juntinhos
Vão de pranto se afogando
Com a falta de carinhos.

O ontem se foi embora
Já ao  presente prometi
Ir-me  daqui pra fora
Que o futuro já está aí.

Quando penso o passado
A modos me dá tristeza
De tudo o que é lembrado
É sol ardente, é riqueza.

rosafogo
natalia nuno

imagem ret. blog de imagens para decoupage.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

TROVAS AMOR-PERFEITO II



Escrevo sonhos a eito
Nesta página que é de prata
Sonho até amor perfeito!
Que é tema que aqui se trata.


Também a amizade é real
E nossas trovas serão mil?
Eu trovo para ti em Portugal
E tu me respondes do Brasil.


Será que alguém nos lê?
Ou a trova está ultrapassada?
Aqui passam mas ninguém crê
Que a trova é tão amada.


Pelos simples e singelos
Pelo Povo donde vim!
Pois a faço com desvelos
Mesmo só pra ti e pra mim.
*******************************
Continuando sobre Amor perfeito


Agora sim... amor perfeito!
Não peças á vida milagre
Que o amor às vezes é feito
De tudo menos de verdade.


Vem então quando puderes
Com amor, amor perfeito
E diz-me que ainda me queres
Agora e sempre no teu peito.


rosafogo
natalia nuno
trovaa escritas no site -oetas e Esc. do Amor e da Paz
imagem do blog imagens para decoupage

domingo, 4 de dezembro de 2011

LOUVOR Á PRIMAVERA I


O que tiver de vir, virá!
Mas nada justifica a morte
Primavera sempre haverá!
Uma, e mais outra com sorte
*
Sou primavera... nasci radiosa!
Botão de rosa perfumado, doce
Ao sol ardente, tu cravo eu rosa
Vive-se a vida como sonho fosse
*
Sonho de que não desperto
É canto e matiz da Primavera!
O pensamento fica um deserto
E eu fico por ti à espera...
*
Nenhuma ideia alegre me vem
Em vez de Primavera é Inverno
Me ocorre uma saudade... além!
Alguém a quem jurei amor eterno.

*
natalia nuno
rosafogo
Quadras ciadas no site Poetas e Escritores do Amor e da Paz.

Á POESIA II

Flores e frutas

Tenho um desejo imenso
Nem sei mesmo se é saudade
Ás vezes eu até penso
Que te conheço de verdade.
*
Sempre os meus olhos falam
De tão transparentes que são
E meus lábios não se calam
Vivendo de emoção em emoção.
*
À Poesia quero tanto, tanto!
De tanto a amar ando louca
É um balançar que acalanto
Curta é a vida... tão pouca!
*
Ando de esperança em esperança
Vivo de quimera após quimera
O tempo passa e já cansa
Só quem não sonha não espera.
*
Poesia não nega a verdade
Ela me tem viva ... bem sei!
Ainda que viva uma eternidade
Só a ela a mais ninguém me dei.
*
Quase toda a palavra foi dita
Para se falar de Poesia
Mas há sempre algo acredita!
Ou triste ou de alegria.
*
Um sonho sempre se agita
E com o dia volta ofegante
O Poeta por ela chora, grita
A amargura dum instante.
*
E seu corpo cai rendido
A mais um sonho de ternura
Aprisionado, do mais esquecido!
A Poesia é sua loucura.
*
Falemos de Poesia
Uma voz amiga aqui virá!
Quer de noite quer de dia
Um beijo à tua porta deixará.


*
natalia nuno
rosafogo
Trovas criadas no site Poetas e Escritores do Amor e da Paz

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

AO AMOR PERFEITO I


Meu coração canta suave
Voando cego, em alegria
Contente livre como ave!
Amor perfeito como queria..
*
Na avenida dos meus sentidos
Passeio o meu amor perfeito
Já trago os passos perdidos!
O amor é fugaz em meu peito.
 *
Vem então quando puderes
Com amor, amor perfeito
E diz-me que ainda me queres
Agora e sempre no teu peito.

*
Paira a lua no firmamento
A sorrir da minha dor...
Perfeito amor...lamento!
Nunca foi o teu amor.
*
Amor perfeito encantado
Dentro do meu coração
Doce mel este meu fado
Ou uma bendita ilusão!
natalia nuno
rosafogo
trovas criadas no site Poetas e Escritores do Amor e daPaz
imagem retirada do blog imagens para decoupage

À POESIA I


Vou em silêncio caminhando
Sempre com meu passo igual
Vou e volto poetando
Do Brasil a Portugal.




Poesia em mim cingida
No desejo de encontrar-te
Sem poesia não há vida
Como poderia amar-te?




A amizade também é amor
Que distribuo caminhando
Passo aqui e sem rumor
Poesia te vou deixando.




Posso cansada chegar
Sento-me nos degraus respiro
Não me vou sem poetar
Deixo um beijo e me retiro.




natalia nuno
rosafogo.




imagem do blog.imagens para decoupage
Trovas criadas nos Trovadores do Poetas e Escritores do Amoe e da Paz

terça-feira, 29 de novembro de 2011

QUADRAS COM AMIZADE


lisi%20martin67

Esta saudade sem podar
Cresce, cresce no peito
E se alguiém a vem cortar
Morro de qualquer jeito.
*

Trago sempre o passo igual
Caminho da Terra até ao Céu
Entre Brasil e Portugal
Pra estar com amigo meu!
*

Na poesia ponho sabor
E no teu rosto o beijo
Da amizade levo o calor
De poetar contigo o desejo.
*

Nem temor agora sinto
Por bom Poeta te saber
Escrevo simples e não minto
Gosto de quadras fazer.
*

Nelas ponho minha amizade
É minha voz e a tua
Se não venho tenho saudade
Assim volto sempre com a Lua.
*

rosafogo
natalia nuno
imagem ret. do blog imagens para decoupage


Quadras feitas como resposta ao meu amigo Marcial Salaverry, no site Poetas e Escritores do Amor e da Paz.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

QUADRAS Á POESIA III







Cantar-te-ei ao teu ouvido




Como rouxinol que encanta
Quando de amor perdido.
Quem canta males espanta!
*
Poesia é doce nascente
De água clara, transparente
Que mata a sede da gente!
Quando de amor carente.
*
Poesia manancial de vida
Água que vem até mim
É ribeirinha adormecida
Que canta baixinho assim:
*
Não tenho rosas, nem flores
Meu coração é um deserto
Nele moram meus amores
Os que quero ter por perto.
*
Poesia é suave palpitar
Que dentro do peito mora
É tocha de alumiar
Meu caminho toda a hora.
*
natalia nuno
rosafogo


trovas criadas no site Escritores Poetas do anor e da paz



sexta-feira, 25 de novembro de 2011

ESTOU EM GREVE

EsToU eM gReVe!
Não são minhas estas quadras, as guardo por me serem também dirigidas.



Hoje também vou fazer greve
 e por isso nada de rimar aqui.
 Em vez disso vou para a neve
 e muito bem praticar esqui!



 Deixo as rimas para a menina
 que também muito bem rima,
 que é do Mondego e cristalina
 e de mim anda sempre em cima!



 Ou então venha a nossa rosa
 com a sua rima que encanta
 e nos leva a alma tão amorosa
 para uma magia que espanta..

.
 E também delego ao girassol
 a minha tarefa de muito rimar
 e tudo rime com o quente sol
 e uma brisa mui suave do mar..

.
 E a simplesmente pode vir sim
 fazer aqui muitas rimas belas
 e nos dar um profuso jardim
 onde bailem quais cinderelas..

.
 E todos os poetas do universo
 podem vir rimar em meu lugar
 e trazer para aqui um verso
 que nos faça o desejo atiçar...



 Mas eu hoje não rimo já disse
 que estou de greve, pois estou.
 e fico a esquiar com a Clarisse
 que seu olho matreiro piscou!





«*+*» «*+*»
Mariaa


Quadras duma amiga do Luso, aqui eu sou a rosa e quem sabe mais algum...é mistério.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

QUADRAS Á POESIA



No trocar de um olhar
Ou no tocar duma mão
Anda aí amor no ar!
E o bater do coração.
*
Poesia faz ressonância
No coração de alguém
Lembra tempo da infancia
Que ficou lá mais além.
*
Minha mágoa enche o rio
E a vida ainda não soube
Que a solidão fere de frio
Sempre que o amor me roube.
*
Quer trazer-me eternidade
A Poesia que me domina
Trazendo-me já a saudade
Do meu tempo de menina.
*
Nas suas asas vou voando
Poesia louca anestesia!
Uma aventura alcançando
Donde despertar não queria
*
natalia nuno
rosafogo

domingo, 20 de novembro de 2011

AMAR NA POESIA



Estou esperando meu bem
Tanto esperei e estou esperando!
Esperar asim por alguém?
É ser flor murchando.

*

Abraçei as ondas do mar
Trouxe Poesia em mim!
Hoje estou detristeza a chorar
 Poesia  rosa do meu jardim.
*

Quando por ti eu passar
Não estranhes minha ansiedade
Poesia  trago  pra dar
Fonte da minha saudade.
*

Vamos falar de Poesia
Pois torna a vida mais leve!
Amar-te amor eu queria
A vida foge é tão breve.
*

rosafogo
natalia nuno