terça-feira, 10 de dezembro de 2013

novas...soltas

 
 
Quem pode dizer ao mar
não rebente a ondulação
sempre ele há-de rebentar
e eu, o que vai no coração
 
ainda nada me ouviste
ora sossega e ouvirás
se o coração inda persiste
nele sempre habitarás...
 
no teu rosto de horizontes
mato a sede com maresia
choram os ribeiros as fontes
choro eu de noite e de dia
 
sem medo faço a viagem
que já tem data marcada
sou romeira em romagem
trago a vida de mão dada
 
nada me perturba ou altera
digo-te adeus vou embora
cansei d'estar à tua espera
n'espero nem mais uma hora
 
cobre o monte a branca neve
o meu coração o cobre o gelo
vou subindo esta vida breve
cumpro a missão com zelo
 
natalia nuno
rosafogo
 
 
 
 

2 comentários:

Maria João Brito de Sousa disse...

Gosto das tuas "novas... soltas" :)

Um enorme abraço para ti, Natália!!!

Natalia Nuno disse...

Surpresa boa Mª João, grata pela visita.

Um abraço emorme desejando te encontres bem.