terça-feira, 17 de março de 2015

juras d'amor...trovas soltas


o amor inda me prende
ateado em brasa ardente
altivo lume que  acende
queima o coração d' gente

ao amor sempre me dei
esquecê-lo mal faria
perdê-lo n'sei...não sei!
sem amor não, nem podia.

dizê-lo n' me envergonha
quero tê-lo por companhia
quero q' o coração disponha
dele, a qualquer hora do dia

cresça ele quanto quiser
já que do coração é rei
amor p'lo teu, só o meu quer
a mais ninguém quererei!

não há bem que vá durar
nem mal que não se acabe
coração nasceu pra amar
segue amando como sabe

no amor ainda eu creio
se no coração me entraste!?
c' juras de amor em cheio
não há razão que te afaste.

natalia nuno
rosafogo
11/2001



2 comentários:

Gracita disse...

Boa noite Natália
O amor delineado com romantismo e paixão. Uma gostosura ler versos tão lindos! Parabéns pelo poema lindíssimo minha amiga
Beijos e carinhos
Gracita

Natalia Canais Nuno disse...

Oi carinhosa amiga, grata pela visita,
é sempre uma alegria encontrar-te, bem hajas Gracita.

Beijinhos com muito carinho