sábado, 15 de outubro de 2016

aos meus olhos mortais...soltas





palavras molhadas de ternura
gritam na mente eternamente
saudade é minha poesia pura
pejada de sonhos p'la frente...

em mim sempre sol nascente
meus olhos se rendem ao mar
céu sem nuvens, triunfalmente
e  meus anos sempre a lembrar

como se brilhasse a mocidade
e, airosa ... não perdida a graça
é como se fosse real esta saudade
e viver de novo tudo q' ela abraça

passou o tempo e s' mais demora
vem agora mostrar-me a velhice
eu minto verdades e sou por hora
desatino, mesmo sendo parvoíce

o tempo tudo destrói e arruina
mas não vou jogar a vida fora
sou rouxinol, cantando menina
no semblante o brilho da aurora

da tristeza eu quero viver isenta
não encontro nela m' companhia
só amor meu coração movimenta
pois q' sem ele minha alma esfria

natalia nuno









3 comentários:

Gracita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gracita disse...

O amor é molh mestra que dá impulsão e fôlego ao viver
Nada de tristezas ou melancolia.
Um domingo feliz querida Natália
Beijos

Natalia Canais Nuno disse...

Olá minha querida amiga, que bom encontrar-te por aqui, tenho andado um pouquito mais lenta devido a uma gripe, foi por acaso que te encontrei e fiquei feliz, gosto da tua visita, creio que nos daríamos muito bem, se te tivesse por perto, mas estás no meu coração.

um beijinho, tudo bom para ti...obrigado.