sábado, 22 de agosto de 2015

ecos em mim...trovas soltas



dizem que não pode ser
que é minha imaginação
que é mágoa de te perder
ou a saudade no coração

que mágoa tão comprida
é grande a dor que m' ficou
é saudade em mim sentida
que o pesar me assegurou

pena foi esta que me deu
meus olhos não querem ver
nem o passado me esqueceu
porém eu, cansei de o viver

não me queiram consolar
já que o tempo me levou
pode a morte vir-me buscar
já que a desventura chegou

não quero nem me atrevo
a dizer  ainda que queira
palavras que aqui escrevo
são tristes à minha maneira

natalia nuno

rosafogo





2 comentários:

Gracita disse...

Quando a saudade é imensa ela emoldura o coração e salta do peito num riacho cristalino formado por gotículas de diamante.
Parabéns amiga pelo poema fabuloso
Beijos e um excelente domingo

Natalia Canais Nuno disse...

adoro a tia visita querida Gracita, e fico muito agradecida pelas palavras sempre elogiosas à minha simples forma de escrever o que me me vai na alma.
Um grande beijinho desejando para ti um Ano 2016 excelente.