domingo, 13 de fevereiro de 2011

QUADRAS SOLTAS III



A saudade é como o vento
Tráz consigo o belo aroma
Agita-me o   pensamento!
E logo o coração me toma.

Pisando o palco da Vida
Faço versos... neles queixa
Da Vida quase perdida
Saudade que não me deixa.

Meus olhos são como raios
Atráz dos teus lá seguem
Às vezes doces catraios...
Perseguindo o que não devem.

Tudo tem peso e medida
Neste Mundo onde me vejo
Só não há cura p'ra ferida
Que faz de ti meu desejo.

Nos olhos lágrimas baldias
Oriundas dum dia aziago
Berço embalado de utopias
Mas dele saudade eu trago.

Rosa em pranto serei eu?
Talvez sim! Não levem a mal.
Pinto de negro meu Céu!
Mas nem sempre é tal qual.

Minhas quadras não têm
Força como as de Aleixo!
Mas do coração me vêm
E só por isso aqui as deixo.

A saudade comigo se deita
Ao madrugar ela lá está!
De nostalgia ela é feita
Onde  estou ela está lá.

Ser Poeta é ser também
Um mensageiro da verdade
Se, se julga mais que alguém!
É Poeta sem ombridade.

Poesia é minha confidente
Não confio em mais ninguém!
Aquilo que o coração sente?
Sei eu e sabe-o  ela também...

Desencanto em mim se instala
Em cada verso alma sofrida
Já meu coração se cala...
Já a Vida o leva de vencida.

natalia nuno
rosafogo

5 comentários:

manuel marques disse...

Quadras lindíssimas.

Beijo.

Amor feito Poesia disse...

Tu enxergas o profundo, Eu insisto em ver a margem
Quando vês o coração, Eu vejo a imagem

Padre Fabio de Melo

Uma semana de Paz e alegrias! M@ria


OBS:Te espero aqui no meu novo espaço
http://mariabozoli.blogspot.com/

*************************************

Líricos Poemas disse...

Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento.

Clarice Lispector

Desejo um Bom dia e o meu carinho à voce!
Agradeço sua visita........M@ria

Natalia Nuno disse...

Grata Manuel, pela visita, tudo bom para ti.

abraço
da amiga

natalia nuno

Natalia Nuno disse...

Minha querida Maria, grata p'la tua amável visita e pelas palavras que me deixas que eu gosto tanto.

beijinhos
natalia nuno