segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

TROVAS TRISTES


Passa a Vida, passa a toque
Já está por demais madura
Haja Deus a quem invoque
Pois só ELE me a assegura.


A Vida é pomba apunhalada
E o tempo de barro a quebrar
O corpo é já quase nada...
Na esperança de não desabar.


A Vida é como uma viagem
Com príncípio, meio e fim
Já sou nela só miragem
Já poucos lembram de mim.


Minha alma é ilha perdida
Num mar de águas serenas
Ao longe...tão longe a Vida
Por lá deixei minhas penas.


Assim vou passando os dias
Não é grande o meu saber!
Fé e esperança mais valias
Das quadras que sei fazer.


natalia nuno
rosafogo


imagem do blog- imagens para decoupage

4 comentários:

Eduarda disse...

Natália,

ando um pouco ausente devido ao trabalho e por isso tenho faltado a ler a tua poesia.

A tua sensibilidade é algo que me entra na pele.

buj

Natalia Nuno disse...

Eu adoro receber palavras tuas, mas não quero de modo algum que te esforces, eu compreendo muito bem, que o tempo é escasso e nem sempre, surge a oportunidade de estarmos com todos como
gostaríamos.
De qualquer modo, eu te agradeço a visita e o carinho Eduarda, bem hajas.

beijinho

Avozita disse...

Quadras de saudade
da vida que já passou.
Outro tempo, outra idade,
que no passado ficou.

Gosto da tua garra.
Beijo

Natalia Nuno disse...

Obrigada Avózita
Aqui fica gratidão
Obrigada p'la visita
Com todo o meu coração.

beijo