quarta-feira, 29 de agosto de 2012

trovas...tanto amor...tanto tanto!






é aqui no cais da saudade
onde meu coração aportou
que escrevo a simplicidade
do que fui e o que sou...

sinto o pulsar da terra
e o vento vai silvando
este meu verso encerra
saudade em mim sangrando...

fruto amadurece e cai
anda o destino à toa
a saudade que não sai
já a vida se esboroa...

raios de sol cativos
na noite fios de luar
andam meus olhos vivos
na sede de te encontrar

sou poeta ou talvez não
mas aos poetas sou igual
dizem louco e com razão
sou de ignorância total...

anda no ar cheiro a tília
aroma tão estonteador
meus olhos fazem vigília
aos teus olhos meu amor

estrada a perder de vista
levo os meus pés já nús
ainda que a vida insista
a estrada é minha cruz

não há palavras bastantes
que m' enxuguem o pranto
ao lembrar tantos instantes
de tanto amor...tanto, tanto!

natalia nuno
rosafogo











2 comentários:

manuel marques Arroz disse...

Estou voltando aos poucos.

Beijo de saudades.

Natalia Nuno disse...

É um prazer a tua visita.

Beijinho

natalia