sábado, 2 de fevereiro de 2013

saudade pássaro irrequieto

 
 
 
irrequieto esvoaça...esvoaça
o pássaro na imensidão lá vai
passa o rio,  ribeiro, tudo passa
só a saudade de mim não sai...

louvado seja ela meiga e doce
das lembranças é presença...
água fresquinha sempre trouxe
engana-se quem contrário pensa.

saudade enxurrada benfazeja
poisa em mim ao fim da tarde
traz lembranças que despeja...
acendendo em fogo que arde.

a saudade não vem sozinha
traz desejo de partir ou ficar
se fica de mim se avizinha
se parte, vão-se os olhos alagar.
 
saudade é ópio...é feitiço!
ninguém resiste, é quebrante
quero lá saber... gosto disso
anda em mim, estrofe errante.
 
natalia nuno
rosafogo
imagem da net
 


2 comentários:

manuel marques Arroz disse...

Pássaros, voam, cantam e encantam a alma da gente.

Beijo meu.

Natalia Nuno disse...

É aguardar a primavera e tudo sorrirá de novo, aí renasce a alma e fica como nova.

Beijos Manuel, obrigada e boa semana.