domingo, 12 de dezembro de 2010

Quadras ( COISAS MINHAS)


Quadras ( COISAS MINHAS)

Vim da aldeia pr'a cidade
Disse-lhe adeus a chorar
Hoje dou conta da saudade
E morro pra lá voltar!


Desde sempre me conheço
Mas falar-me não me falo!
Se comigo à fala começo?!
De tristeza jamais me calo.


 Com o decorrer dos anos
Fiquei de sonhos despida
E com tantos desenganos
Minha barca anda perdida

Saudade de coisas perdidas
Brasas em conbustão lenta
Minhas esperanças ardidas
Minha alma vazia e cinzenta


 Sorvo  a Vida e palpito
Vai a Morte colher-me breve
E logo meu coração aflito!?
Queixoso bate ao de leve.

Plantei rosmaninho no quintal
Salva e pé de erva cidreira
Farei chá... que passo mal!
Amor por ti trago cegueira .

Era um amor mais que perfeito
Um amor maior que o mar...
Era um amor maior que o peito
Onde só eu o sabia arrumar

Hão-de rebentar novas folhas
Em mim  lá p'la madrugada
Para veres quando me olhas
Que ainda me sinto amada


Da Vida já não dou conta
Nem do que ela me ensinou
Minha memória, já tonta!
Também com a Vida cortou


Já não gasto a Vida toda
Me diz o destino ingrato
Gira a Vida numa roda
De m'nha alma é o retrato


A saudade é meu abrigo
Deixem que viva com ela
Às vezes parece castigo
É minha sombra e eu dela.





rosafogo
natalia nuno

4 comentários:

lita.lisboa1 disse...

Minha querida poetisa, não te quero só aqui... Quero-te em livro, para ficares para a posteridade e orgulho dos teus netos.
És linda !
BEIJO da tua amiga Lita

Susan disse...

Que lindo poema e quantas coisas guardadas como fotografias recortadas pelo tempo ...
Lindo !!!!
Beijo
Susan

Natalia Nuno disse...

Lita, isto são só umas quadrazinhas há tanto feitas, mas por serem tantas abri este espaço para as albergar e ficarem juntas. Coisas simples, tão simples, mas tenho um carinho especial, eu antigamente só fazia quadras, daí a minha facilidade de rimar.
Quanto ao livro, vou começar calmamente a ler e a escolher é que são já muitos talvez uns seiscentos e não é fácil, sabes como é, criámo-los todos a escolha é difícil.
Obrigada pela tua amizade, te adoro.

beijo

Natalia Nuno disse...

Fico feliz por ter mais uma leitora destas minhas simples quadras. Eu nasci numa aldeia
e embora saísse de lá muito jovem, tenho muito do povo, as minhas raízes, e por isso gosto de fazer quadras. Depois tenho outra poesia aqui
nos ORVALHOS, baseada principalmente na saudade.

Como disse fico feliz por ter mais uma seguidora bem hajas amiga Susan.
Beijinho