quarta-feira, 10 de agosto de 2011

HORA DERRADEIRA



E a noite então descerá
Como ela estarei sombria
No céu a Lua surgirá
Levando m'ha alma fria.





O relógio horas dará
Assim se resume a vida
- Virá a morte... virá!
Pronta pra me dar guarida.

Ao ver-me triste coitada
Bem dirá a meu respeito!
Levo a vida perdoada...
A saudade dentro do peito.

Mais não quero só violetas
Atiradas... com firmeza!
Tudo mais não me prometas
Nasci pobre e sem grandeza.

Sou poeta sem ostentação
Que já teve e  nada tem!
Só no coração a paixão
P'la Poesia  se mantém...

Se ouvires o sino tocar
Deixa-o tocar à vontade
Ele sabe do meu finar
E sabe da minha saudade.

E a vida que foi torvelinho
Deixo para trás agora...
Alvoreço em outro caminho
Já nada mais me apavora.

rosafogo

natalia nuno

imagem do blog-para decoupage

1 comentário:

manuel marques disse...

Continuo de férias,passo apenas par deixar um beijo.