segunda-feira, 29 de agosto de 2011

QUADRAS Á SOLTA XXX



Mirando a água que corre
Vejo a vida que não demora
Vejo o sol que nasce e morre
Quase sempre à mesma hora.

Mirando campo sem semente
- Lembro as mãos calejadas
Do meu povo, pobre gente!
Que o cavou com as enxadas.

Pássaros fugiam aos brados
Nas eiras o trilho girando!
Havia pares de namorados
Juras de amor...íam jurando.

Nada resta senão as estevas
A mesma Senhora da Vitória
Partes contigo saudade levas
A candura da aldeia na memória.

O Povo é livre está contente
Apesar de levar vida sofrida
Não cala que calar consente!
Consquitou viver livre a vida.

Lembranças minhas e tuas
Entre sonhos e realidades
À procura de mim lá p'las ruas
Com olhos vazios de saudades.

Guardo na lembrança a praça
Onde um dia encontrei teu olhar
Teu gesto tentador, a tua graça
Sempre os olhos hão-de recordar.

Se fôr? Esta saudade é condão!
Saudade é então tudo que ficou
Sentir o que perdi é imensidão
Restam versos a quem me dou.

rosafogo
natalia nuno
imagem ret. blog para decoupage

2 comentários:

manuel marques disse...

Estou de volta,senti saudades.

Beijo.

N. Barcelli disse...

Belíssimas quadras.
Gostei imenso.
Um beijo, querida amiga.