segunda-feira, 20 de outubro de 2014

sopros...trovas soltas



correm meus dedos trazendo
uma vontade enlouquecida
correm as saudades batendo
com saudades da própria vida

no rio reflexo dos salgueiros
cabelos agitados ao vento
das hortas me vem os cheiros
do fundo da alma o lamento

pássaros de peito inchado
e brancas flores abrindo
ao longe o som do arado
já as estrelas vão caindo

faço coro com a ventania
com as rãs e sua voz rouca
prende-me o choro da cotovia
e das cigarras a cantoria louca

não sei se deixe morrer...
o que hoje me atormenta
meus versos hão-de querer
livrar-me do q' m'apoquenta

natália nuno
rosafogo
11/2008




2 comentários:

Edith Lobato disse...

Cada vez mais me encanto com teus poemas em trova. Lindos.

Olha faço parte de um site Chamado Encontro de poetas e amigos podias nos brindar com teus poemas. Deixo o link abaixo.

http://encontrodepoetaseamigos.ning.com/main/authorization/signIn?target=http%3A%2F%2Fencontrodepoetaseamigos.ning.com%2F

Natalia Nuno disse...

Olá querida Edith

também me encanta saber do teu apreço acerca das minhas trovas e agradeço muito.

Vou verificar o site, grata pelo convite.

Beijinho.