sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

ALENTEJO















ALENTEJO


Hoje quem canta é o galo
Enquanto a galinha põe o ovo
É do ALENTEJO que falo
Quem mais ordena é o Povo.


Agachou-se por demais
Quase sem penas ficou
Mas hoje brilham trigais
ALENTEJO se alevantou!


Cantem, cantem  cigarras
Atrás da folhagem escondidas
 LIBERDADE? Horas amargas
Promessas de ABRIIL..perdidas!


Ah ALENTEJO, terra quente
Terra que a gente não esquece
Gente de coração, boa gente!
O Sol nos embriaga e aquece.


Teu POVO te sabe amar!
Sempre foi e é capaz!
Escreveu no tempo a passar
Que luta se precisar...


Mas que é gente de PAZ!


dedicado ao Alentejo e suas gentes.

4 comentários:

EU disse...

Amei... O Alentejo é um símbolo!!!
Bjinho :)

Natalia Nuno disse...

Oi linda, obrigado, foi uma surpresa logo p'la manhã, uma surpresa gostosa.
É só um miminho esta poesia ao nosso Alentejo.

beijinho para ti

Manuela Fonseca Amaral disse...

Castelo de Évoramonte...

"...gente de Paz!"

Beijinhos, amiga querida.

Natalia Nuno disse...

Oi amiga, gostei da tua visita, às minhas singelas quadras, feitas há muito tempo, mas agora têm aqui o seu cantinho especial só pra elas.

Beijinho Manelinha.