domingo, 16 de janeiro de 2011

CANTEIRO DE SAUDADE
















Saudade levo ao partir
Saudade trouxe ao chegar
De saudade trago o sorrir
Saudade aperto a magoar.


Saudades trago às mãos cheias
Nos corredores vazios de mim
 - Saudades trago nas veias...
Saudades, duma saudade sem fim.


Saudades do tempo perdido
Saudades do tempo por achar
Trago esse tempo esquecido
Com medo de o encontrar...


Segredos a saudade guarda
Segredos de mim menina
Correu  o tempo não tarda
Aquele que Deus destina.


Tráz-me saudades a saudade
Saudades neste  entardecer
Saudades que na eternidade
Ainda me hão-de fazer doer.


Quase esquecida do tempo ído
Cá dentro trago as  saudades
Revivo o tempo, tempo perdido
Neste vagar das minhas tardes.


natalia nuno
rosafogo


foto-retirada do blog imagens para decoupage

2 comentários:

Amor feito Poesia disse...

Já chamei pessoas próximas de "amigo"
e descobri que não eram...
Algumas pessoas nunca precisei chamar de nada
e sempre foram e serão especiais para mim.

(Clarice Lispector)

Feliz Semana....Beijos meus! M@ria

Natalia Nuno disse...

Para mim és uma querida amiga, e uma agradável visita.
Carinhosa, de quem gosto muito.

beijinhos, tudo bom para ti
natalia