domingo, 27 de janeiro de 2013

minha aldeia...


 
 
 
 
ai.... aldeia ribatejana
minha infância aí deixei!
faz mil e uma semana...
tantos meses que nem sei.
 
tuas auroras beijaram
minha mocidade em flor
minhas lágrimas amargaram
ao recordar-te com  amor.
 
cá no fundo do meu ser
não sou alegre, antes fosse!
a menina que viste crescer?
tem alma de criança doce.
 
eu creio que me querias
tal qual assim eu te quiz..!
lembro-te todos os dias
e a lembrança me faz feliz.
 
pensar que não te tenho
pensar que já te perdi...
lá de longe de onde venho?!
estás comigo não te esqueci.
 
estes versos que te escrevo
caem-me da alma em flor
são água fresca que bebo
são lembrança do teu odor
 
são flores frescas de jasmim
aldeia que amei na vida...
não quero esqueças de mim
dou-te um beijo na despedida.
 
natalia nuno
rosafogo
imag-net quadras de 01/1997
das muitas enfiadas na gaveta.
 






2 comentários:

Amara Mourige disse...

Natalia, belíssimo poema!
Uma linda semana!
Bjs
Amara

Natalia Nuno disse...

Querida amiga, grata pela visita.

Beijinhos e boa semana também para ti.