domingo, 20 de janeiro de 2013

trovas...momentos de invernia

 

 
caem folhas é outono...
e eu sem saber porquê!
o porquê deste abandono
na dor que ninguém vê.
 
só eu vejo qual a razão
que é da minh'alma o frio
o destino do meu coração
é grito caído no vazio
 
conto do princípio ao fim
os dias da minha vida
comigo sem saber de mim
e cada vez mais esquecida
 
o caminho acaba ao fundo
lá sigo eu de passos leves
aos poucos deixando mundo
brilhos da tarde são breves.
 
dor de alguém não conheço
a dor é como maré vazante
à dor de amor tive acesso
morre com o tempo passante.
 
trago o eco d'outro tempo
lembrando tudo que perdi
no corpo a ferida sem alento
catarse do que não esqueci.
 
natalia nuno
rosafogo
imag-net









2 comentários:

Amara Mourige disse...

Natália,que lindo poema!
Uma linda semana que começa!
Bjos
Amara

Natalia Nuno disse...

Beijinhos Mara, grata pela presença amiga que alegrou meu dia.