segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

trovas...na alma não cabe

 
à garganta me subiu
a lágrima teimosa 
dos olhos me caíu
deixando-me chorosa.
 
o olhar embaciado
tanta é a comoção
meu rosto calado
tremendo-me a mão.
 
o olhar reflectindo
uma luz ardente...
cintilar que está vindo
e que o coração sente.
 
na alma não cabe
recito minha prece
e só Deus sabe
o que o coração carece.
 
nesta noite comprida
a alma de rastros
o amor é vida...!
é um céu com astros.
 
natalia nuno
rosafogo
imag-net
 

2 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Como sempre muito boa a sua poesia.
Amiga, o meu blogue http://sinfonia
esol.wordpress.com acaba de
completar um ano, se o quiser
visitar, ficaria feliz.
Beijinhos
Irene Alves

Natalia Nuno disse...

Olá Irene
Agradeço a sua simpatia, fico contente com seu apreço.
Eu vou com frequência visitar seu blog, e me perco por lá lendo, pois há sempre belíssima poesia, apercebi-me que tinha completado um ano, mas creio que foi através do face. Irei com certeza com muito gosto.

Beijinho amiga.