quarta-feira, 11 de maio de 2011

A OUTRA



Viajo pelo passado
Só a solidão me quer
Já nem o espelho é amado
Já namora outra qualquer.


Deixo-me andar assim então
Triste...e sem querer saber!
Pobre deste meu coração
Que não pára de bater.


As minhas mágoas esqueço?
Como se a má sorte me persegue?
E se de mágoas feneço
É porque a tristeza me segue.


Voltei ao lugar encantado
Onde dantes te namorava
Viajei longe, até ao passado
Sonhando que te encontrava.


Ah...mas vou tentar esquecer-te
Mulher que de mim desististe
 Se voltar ao espelho a ver-te?
Faz de conta que não me viste.


Mas se meu par tanto insiste
Vou comprar um outro espelho
Se ele não me quer ver triste
Vou seguir o seu conselho.


rosafogo
natalia nuno

1 comentário:

Célia Gil, narciso silvestre disse...

É importante reencontrar a mulher que brilhava no espelho. Adorei o poema!