sábado, 7 de setembro de 2013

resta um sopro...



o que falta ainda viver
aperta-se ao nosso redor
não há tempo a perder
é agora o tempo... amor

tudo ontem era nosso
nada temos a perder...
ao rítmo da queda posso
e quero ainda viver...

atearei ainda teu fogo
até que se esgote o ar
em tua boca me afogo
és lenha pra me queimar

nos olhos o céu se alaga
sem ti nada faz sentido
peço a Deus que nos traga
mais um tempo con(sentido)

somos raízes do jardim
lírios brancos esvoaçantes
vivo em ti e tu em mim
eternamente dois amantes

do jardim mesmo perfume
somos  pétalas que restam
trazemos a vida no gume
mas sonhos se manifestam

natalia nuno
rosafogo



4 comentários:

Amara Mourige disse...

Natalia querida, mais um lindo poema!
Adorei!!
Um lindo domingo.
Beijos
Amara

Natalia Nuno disse...

Oi Amara

Grata pela visita, estou fora em férias, mas arranjei um pouquinho de tempo e quero deixar-te um beijinho.

Natalia Nuno disse...

Oi Amara

Grata pela visita, estou fora em férias, mas arranjei um pouquinho de tempo e quero deixar-te um beijinho.

Natalia Nuno disse...

Oi Amara

Grata pela visita, estou fora em férias, mas arranjei um pouquinho de tempo e quero deixar-te um beijinho.