sábado, 18 de fevereiro de 2012

SAUDADES DO AMOR




Saudade que vai e volta
Volta e meia lá vem ela
Saudade que deixo à solta
Nesta quadra bem singela...
*

Fechei a minha varanda
Não quero vir a chorar
E à saudade que ali anda!
Deixo-a a falar com o luar.
*

Já se veêm derramando...
Lágrimas dos olhos teus!
Meu amor te estou amando!
Olha bem nos olhos meus.
*


Ouço violinos ao vento
Tocam a minha melodia
Trago-te no pensamento
A toda a hora do dia...
*

Anda o coração vazado
Como folha ressequida
Ou tu és o meu amado?!
Ou meu sol na despedida.
*

O meu pranto é imenso
Quando me dá pra chorar
Em ti não quero mas penso!
Não sei deixar de te amar.
*

Andam estrelas perdidas
Nos meus olhos a brilhar
De inquietação estremecidas
Pra ver o amor despertar.
*

Agora é tarde demais
Caem folhas é Outono
Vós sonhos já me deixais!
Fico só ao abandono.



natalia nuno
rosafogo


2 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Ao abandono... nunca...
Belíssimo poema. Gostei das rimas, do ritmo das tuas quadras.
Beijo, querida amiga.

Natalia Nuno disse...

Gentil és Poeta, obrigada p'lo carinho.

Beijo Nilson
da natalia nuno